Eu Li: Extraordinário

Eu li “Extraordinário” em dezembro, antes de assistir o filme. Eu sempre gosto de ler o livro primeiro e depois assistir o filme ou a série. Nem sempre dá certo, mas dessa vez deu.

Antes de mais nada, quero dizer que esse livro deveria ser mandatório em todas as escolas e que todo mundo {adulto, criança, adolescente} deveria ler! 

Agora sim, podemos falar do livro! hahahaha

resenha do livro extraordinario de R. J. Palacio por Giuli Castro

Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade.. até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular em Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apenas da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Para começar a falar sobre ele, devo dizer que você deve preparar muito bem seu psicológico antes de ler. Com certeza, é um livro que vai mexer muito com você. Pelo menos comigo, mexeu demais.

Eu li esse livro em menos de 48h. Tudo bem, ele não é um livro grande, acho que tem 100 páginas. Mas é um livro intenso, que mexe muito com nossos sentimentos.

Eu me apeguei a Auggie, o personagem principal, desde a primeira frase do livro. Ele não é uma criança que se faz de vítima da sua síndrome. Ele é uma criança que quer só ter uma vida normal. Ele sabe que tem uma aparência incomum, como talvez o  Chewbacca {personagem de Star Wars} tenha também, mas nem por isso, as pessoas precisam ficar encarando-o a cada vez que o vê ou trata-lo como uma pessoa que tenha uma doença contagiosa e que não possa viver a vida normal. Ele é igual a todos nós.

resenha do livro extraordinario de R. J. Palacio por Giuli Castro

O livro trata de um assunto que eu gosto muito e acho que o mundo todo está precisando, empatia! O livro consegue nos fazer sentir como Auggie e viver como ele vive o dia. Acho que a gente está precisando muito nos sentir no lugar do outro, para ter menos julgamento e compreender melhor o outro. Não é porque não aconteceu com a gente que isso não acontece ou não aconteceu com outras pessoas.

Gerar empatia não é uma coisa fácil, aliás eu acho bem díficil. Entre várias passagens do livro é possível ver como outras pessoas não conseguem sentir o que Auggie sente e continuam destratando ou até maltrando-o.

O livro tem várias passagens maravilhosas, dignas de serem escritas no post it e deixadas na nossa frente, para a gente nunca esquecer. Mas tem uma que é a minha preferida:

“Shall we make a new rule of life… always to try to be a little kinder than necessary” A tradução seria {não sei se está assim no livro em português, mas deve ser bem parecido}: “Vamos fazer uma nova regra da vida… sempre tentar ser um pouco mais gentil que o necessário”

A gente nunca sabe pelo o que as outras pessoas estão passando, então vamos sempre ser mais gentis. Pode ser que ela esteja em um momento muito ruim da vida e não seremos nós que vamos piorar isso, né?!

Sobre o filme, vou falar rapidinho. Ele é bem parecido com o livro, não é extremamente fiel, mas passa exatamente a mesma mensagem. Eu adorei o filme e acho que vale super a pena ver também.

Quem já leu o livro ou viu o filme?! O que acharam?!

Sempre me perguntam se eu gosto do Kindle e porque eu resolvi comprar. Eu fiz um vídeo bem completo, contando quais são as vantagens e desvantagens dele, na minha opinião. Vocês já viram?

Beijos!

Compre este post:

Eu Li: Nada a mais a perder | Jojo Moyes

Vamos tirar o pó da tag dos livros aqui do blog?! Um dia, postei no stories do instagram {não me segue ainda?1 me segue lá @giulicastro}, os livros que eu já li em 2018 e fiz uma enquete se vocês gostariam de ver as resenhas aqui e a grande maioria votou que SIM, que gostaria! Então, vocês pediram e eu ouvi! Vamos falar de livros.

Como eu estou muito atrasada com as resenhas de livros que eu já li e tenho lido bastante esse ano, vou começar pelos que eu li em 2017. Porém, toda semana {ou quase toda semana}, vou fazer resenha de um livro por aqui, combinado?!

A resenha dessa semana é o Nada Mais a Perder da Jojo Moyes.

Resenha do livro Nada Mais a Perder de Jojo Moyes no Blog Giuli Castro

Sinopse do livro: “Na juventude, Henri Lachapelle foi um cavaleiro de raro talento, entre os poucos admitidos na academia de elite do hipismo francês, o Le Cadre Noir. Contudo, reviravoltas da vida o levaram da França a Londres, onde ele agora vive em um simples conjunto habitacional. Sem nunca abandonar o amor pela antiga carreira, aos trancos e barrancos Henri ensina a neta, Sarah, a montar o cavalo Boo, na esperança de que o talento da dupla seja o passaporte para uma vida melhor e mais digna para todos. Mas um grande golpe muda mais uma vez os planos de Henri Lachapelle, e Sarah se vê entregue à própria sorte, lutando para, além de sobreviver, cuidar de Boo e manter os treinamentos.

Natasha é uma advogada especializada em representar crianças e adolescentes envolvidos com crimes ou em situação de risco. Abalada emocionalmente e em dúvidas quanto a seu futuro profissional depois de um caso terrível, Natasha ainda tem de lidar com as feridas do fim de seu casamento. Um fim, diga-se de passagem, bem inusitado, já que ela se vê forçada a morar com o charmoso futuro ex-marido enquanto esperam a venda da casa da família.

Quando Sarah cruza o caminho de Natasha, a advogada vê na menina a oportunidade de colocar a vida de volta nos trilhos e decide abrigar a adolescente sob o próprio teto. O que ela não sabe é que Sarah guarda um grande segredo que lhes trará sérias consequências.”

Resenha do livro Nada mais a perder de Jojo Moyes no Blog Giuli Castro

 

É um livro que aborda temas interessantes e pesados como conflitos familiares e mais alguns {não vou falar todos para não dar spoilers}. Porém, Jojo consegue escrever com maestria, dando certa leveza e não tirando a intensidade da estória.

Sarah e Natasha se encontram ao acaso em um supermercado e daí por diante, Natasha percebe que não consegue mais se desvencilhar de Sarah. Mas completar o trio, Mac, o ex-marido de Natasha, também não consegue não se envolver com toda a estória de Sarah e embarca nessa aventura com Natasha, mesmo durante o processo de divórcio entre eles.

O livro é uma montanha russa de sentimentos. Confesso que sofri bastante, chorei muito e dei algumas risadas. Aborda além de tudo isso cavalos e hipismo. Eram assuntos completamente desconhecidos por mim, mas que a autora pesquisou e abordou em detalhes no livro.

Não foi um livro que eu amei já na primeira página. Eu precisei de algumas páginas para me apegar aos personagens e a estória. Porém, depois de apegada, não consegui desapegar. Quando estava no fim, não queria que acabasse, mas ao mesmo tempo queria saber qual seria o final. Vocês também vivem esse conflito?! hahahahaha

Se você gosta dos livros da Jojo e de romance, super indico “Nada Mais a Perder”. Não é um romance bobinho, é um romance intenso capaz de te transformar em um turbilhão de sentimentos.

Algumas frases do livro que mexeram bastante comigo:

“As crianças não nos contam nada porque, na maioria das vezes, ninguém escuta mesmo.”

“Às vezes só eram necessárias algumas palavras de incentivo para reacender uma fagulha de confiança de que o futuro poderia ser maravilhoso, em vez de uma série infindável de obstáculos e decepções.”

Vocês já leram?! Qual livro estão lendo agora?!

Para quem não sabe, eu tenho uma conta do Good Reads e no Skoob. Quem quiser saber os livros que já li ou estou lendo e quiser interagir comigo, é só me adicionar por lá {clicando nos nomes dos sites aqui em cima, vocês já serão redirecionados para o perfil}.

Beijos!

Compre o post:

Se cadastrem no Méliuz! Além de cupons desconto, você recebe parte do seu dinheiro de volta. Tem muita loja legal cadastrada! Vale a pena!

Eu li & Eu vi: A Garota no Trem

Se tem uma história que eu fiquei obcecada lendo o livro foi A Garota no trem. Devorei o livro em poucos dias e no dia que acabei o livro, enquanto não assisti o filme não sosseguei. O livro é muito fácil de ler, flui muito e quando você percebe você já leu muitas páginas, tipo metade do livro.

Não é um livro novo e o filme foi lançado em outubro do ano passado. Ou seja, não é nenhum lançamento, mas eu ainda não tinha lido o livro {estava super curiosa} e muito menos visto o filme. Pode ser que tenham mais pessoas como eu, então vamos as resenhas!

a-garota-no-trem-giuli-castro

Sinopse do livro: Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida.

Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.

a-garota-no-trem-giuli-castro

Sinopse do filme: Rachel é uma alcoólatra divorciada, desempregada e deprimida. Ela se envolve na investigação de desaparecimento de uma mulher que observava todos os dias pela janela do trem.

A partir daqui, pode conter spoiler no texto!

 

 

 

 

 

 

O livro e o filme são parecidos, a trama é a mesma. Porém, muitas diferenças são percebidas! No livro, toda a história acontece em Londres e região; já no filme, tudo acontece em Nova York e arredores. Mas essa mudança não interfere na trama.

Alguns personagens são apenas citados no livro, como a ex chefe de Tom.  Já no filme, Lisa Kudrow dá vida a personagem que aparecem em algumas poucas cenas. Cenas estas, como o encontro dela com Rachel no metro que não tem no livro. Isso também não é ruim, achei que foi uma boa inserção ao filme.

Porém, algumas cenas do livro como a que o Scott tranca a Rachel em um quarto em sua casa, não aparece no filme. Aliás, no filme, Scott está bem mais tranquilo em relação a Rachel em comparação ao livro. No livro, há várias passagens em que você desconfia sim que ele é o responsável pelo sumiço da sua esposa, Megan. Inclusive, nesses momentos em que ele é muito agressivo com Rachel. No filme, não tem isso.

Achei que no filme o suspense não é levado até o fim como no livro. O livro tem mais detalhes {isso é normal}, porém ele consegue deixar o suspense por mais tempo e te faz querer ler tudo muito rápido. De qualquer forma, o filme é muito bom. Se vocês tiverem a oportunidade de ler antes de ver o filme, aconselho muito! Porém, se você está muito curioso e não quer esperar para ler o livro, pode assistir o filme.

Eu assisti o filme na Apple TV e sei que tem já tem no NOW tb.

Já leram o livro ou viram o filme?

Beijos