Dica de Leitura: Eu sou Malala

Essa tag anda sumida por aqui, né?! E vou dizer que nem é tanto por falta de livros para colocar aqui, mas é que tenho tantos assuntos para dividir com vocês, que acabei esquecendo dos livros.

O livro escolhido para hojé é Eu Sou Malala. Comecei a ler e não queria mais desgrudar. Ao mesmo tempo quando foi chegando perto do final, não queria que acabasse… Queria continuar  sendo “amiga”de Malala. Li, sofre e me emocionei em cada capitulo do livro com ela, me senti realmente próxima dela.

O livro conta a historia real de Malala, uma menina paquistanesa que luta pelo direito de estudar e também condição feminina perante ao Talibã. Faz tudo isso com um amor imensurável! Não mede perigos, riscos a vida dela. Só pensa em deixar um mundo melhor, principalmente para as mulheres que são as mais sofrem com o islamismo fundamentalista manipulado pelo Talibã.

Malala conta com o apoio da família e sua inspiração sempre foi seu pai. A mãe a apoia, mas tem medos reais, que toda mãe teria, principalmente de perder sua filha para o Talibã.

IMG_5743

A sinopse do livro: Quando o Talibã tomou controle do vale do Swat, uma menina levantou a voz. Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou pelo seu direito à educação. Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou o preço com a vida.  Malala foi atingida na cabeça por um tiro à queima-roupa dentro do ônibus no qual voltava da escola. Poucos acreditaram que ela sobreviveria. Mas a recuperação milagrosa de Malala a levou em uma viagem extraordinária de um vale remoto no norte do Paquistão para as salas das Nações Unidas em Nova York. Aos dezesseis anos, ela se tornou um símbolo global de protesto pacífico e a candidata mais jovem da história a receber o Prêmio Nobel da Paz.
Eu sou Malala é a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que valoriza filhos homens.
O livro acompanha a infância da garota no Paquistão, os primeiros anos de vida escolar, as asperezas da vida numa região marcada pela desigualdade social, as belezas do deserto e as trevas da vida sob o Talibã.
Escrito em parceria com a jornalista britânica Christina Lamb, este livro é uma janela para a singularidade poderosa de uma menina cheia de brio e talento, mas também para um universo religioso e cultural cheio de interdições e particularidades, muitas vezes incompreendido pelo Ocidente.
“Sentar numa cadeira, ler meus livros rodeada pelos meus amigos é um direito meu”, ela diz numa das últimas passagens do livro. A história de Malala renova a crença na capacidade de uma pessoa de inspirar e modificar o mundo.

É um livro que recomendo para todos, principalmente para as mulheres ociednetais. Eu nunca fui no Paquistão, aliás nunca fui no Oriente, onde a diversidade cultural é ampla e completamente diferente do que vemos por aqui. Acho que saber sobre elas é essecial para o nosso desenvolvimento com ser humano.

Para quem ainda não leu, corre já para a livraria e garanta o seu! Tenho certeza que não vão se arrepender! :)

Ah, e depois voltem para me contar! Quem já leu, deixa comentarios para mim! Quero muito saber o que acharam.

Beijos

Dica de Leitura: A Ultima Carta de Amor

A escolha para março/abril {sim, me enrolei, mas como li 2 em janeiro, ta td certo, ne?!} foi A Ultima Carta de Amor de Jojo Moyes.  Não era a minha primeira opção, mas não tinha muitas opções na Laselva do aeroporto de Florianópolis no dia que comprei. De todos que tinham lá disponível, este foi o que me conquistou…

Livro_abril

Pela sinopse, achei que seria um livro que me conquistaria na primeira linha, mas infelizmente, naão foi o que aconteceu. Até mais da metade do livro, foi uma leitura arrastada. O que mais me incomodou é que ela vai e vem no tempo, toda hora AND tem 2 personagens principais. E nada é bem determinado. Em alguns momentos, eu ficava perdida e tinha que voltar algumas páginas. Por isso, a minha dica para quem quiser ler este livro é: leia o máximo que vc conseguir em um dia e nos dias seguintes. Eu tentava ler toda noite, mas conseguia ler no maximo 5 paginas por noite, pq pegava no sono {eu pego no sono com meu livro preferido, no meio da minha serie favorita. Não dormia pq o livro é ruim, não}. Sendo assim, estava lendo sempre picado e perdida no tempo.

A escrita do livro é bem tranquila, com palavras fáceis.  Depois da metade do livro, ele me pegou de jeito e eu não queria mais largar. A leitura ia fácil, ja que tinha me acostumado com o estilo da autora.  O final do livro me surpreendeu positivamente e me tirou toda a imagem negativa do começo do livro. Ou seja, indico o livro, mas que vc leia rapidamente! De preferencia em um dia ou em no maximo 5. heheheh

Livro_abril_02

 

Ja conheciam este livro?! Quem ja leu? Sentiu a mesma dificuldade que eu no incio do livro?

Será que os outros livros desta autora são do mesmo jeito?! Please, alguem me da uma luz? hehehehe

Beijos

 

Dica de Leitura: A Culpa é das Estrelas

Falei que esse mês ia bombar de dicas de leitura, né?! O livro que vou indicar hoje é ” A culpa é das estrelas”. 

Antes de mais nada, este livro deveria vir com uma advertência: ” Ele é capaz de derramar todas as suas lágrimas. Até aquelas que vc nem sabia que tinha”. 

a culpa e das estrelas_leitura

Como bem dito na sinopse, os dois personagens principais do livro tem câncer. Hazel, apesar se ser uma paciente terminal, tem um humor ácido {acredito que assim seja mais fácil de levar a vida} e se preocupa muito mais com os outros do que com ela. Os diálogos com os pais sobre sua doença e a fase que ela se encontra são maduros e realistas, exatamente como uma doença desta pode afetar o âmbito familiar. Claro, que não é só de choro que se vive o livro {apesar de eu ter chorado muito e ter ficado com os olhos inchados várias vezes}, mas tem tb o romance de Hazel e Gus e suas aventuras que embalam o livro. Sim, eu adoro um romance, mesmo sendo mamão com açúcar.

Os 2 personagens nos ensinam a lidar com a morte, que é uma coisa certa na vida e que para mim, ainda é muito difícil de lidar. Acredito que seja a coisa mais difícil de enfrentar. Mas com amor e com os 2, a gente consegue aprender algumas coisas que, tenho certeza, vão nos ajudar muito em relação a isso.

Parafraseando Makus Zusak {autor de ” A menina que roubava livros”}: “Você vai ri, chorar e ainda vai querer mais.”

É uma leitura super fácil, cativante, envolvente e muito emocionante. Eu me envolvi de tal forma com o livro que qualquer 5 minutinhos que eu tinha {fosse esperando todo mundo sair do avião, numa corrida de 5min de táxi, na sala de espera para o médico ou na praça de alimentação do shopping}, estava eu com meu livro aberto e lendo, querendo acabar.

culpa das estrelas

Vcs não imaginam quantas vezes chorei dentro do avião, ou no shopping… As vezes, as pessoas me olhavam, parecendo que queriam ir perguntar o que estava acontecendo, mas ainda bem que ninguém veio. Imaginem o mico…rs

Se vcs gostam de uma leitura assim, prepare a caixinha de lenços e manda bala! É lindo!

Alguém por aqui já leu? O que achou?

Beijos