Tag: Descobrindo novos blogs

Fui convidada pela minha amiga querida, Karina Belarmino, para responder uma tag para vocês. A tag que ela me indicou foi “Descobrindo novos blogs”.

home-office-giuli-castro

Apesar de ter anos de blog, acho que nunca respondi uma tag por aqui. Geralmente, deixo esses assunto para o meu canal do youtube. Mas achei que seria uma ótima oportunidade de vocês me conhecerem um pouquinho mais e ficarmos mais próximas, né?!

A tag tem algumas regrinhas bem simples: citar a pessoa que me convidou, responder as 10 perguntas que ela me enviou e criar mais 10 perguntinhas e indicar algumas amigas para responder.

Então vamos começar pelas minhas respostas, né?!

1.O que você mais gosta sobre ser blogueira?

Amo poder dividir minhas experiências e minhas idéias com minhas leitoras e meus leitores. O blog, apesar de ser trabalho e muito trabalho, diga-se de passagem, é algo que me dá prazer de fazer. Não me importo de acordar cedo ou ir dormir tarde, se preciso trabalhar nele. Ele me proporcionou amizades maravilhosas, experiências incríveis e um trabalho que amo.

2. Qual a lembrança da infância que te dá mais saudade?

Ah, a infância! Que tempo bom, né?! Muita inocência e diversão o tempo todo. Sinto falta de brincar na rua com meus amigos {eu tinha muitos vizinhos e sempre morei numa cidade pequena}, as férias na casa da minha avó com meus primos na casa da minha avó com muito sorvete de flocos e coca-cola e as férias na fazenda junto com meus pais e minha irmã e também nossas viagens para praia no verão.

3. Tem uma viagem que marcou sua vida?

Acho díficil dizer alguma viagem que não marcou a minha vida. Cada uma de sua forma, deixou uma lembrança querida. Porém, com toda certeza, a viagem para Fortaleza com o Renato para um fim de semana prolongado e de descanso. Nessa viagem, ele me pediu em casamento! Com certeza, será uma viagem que eu sempre vou lembrar para o resto da minha vida.

noivado-giuli-castro

4. Tem talento para artes manuais? Qual?

Não tenho nenhum talento para artes manuais. Minha habilidade manual é igual a zero.

5. Conta e mostra seu batom favorito!

Com certeza, meu batom da vida é o Twig da MAC. É um nude rosado que vai bem em todas as ocasiões. Inclusive usei ele no meu casamento. Outro que estou apaixonada, nesse momento, é o Posie K da Kylie.

batom-twig-mac-posiek-kyle-jenner-giuli-castro

6. Seu maior mico depois de adulta, qual foi?

Ixiii, não lembro especificamente de um mico. Mas to sempre pagando mico por ai, principalmente porque sou muito desastrada.

7. Tem orgulho de alguma coisa que foi feita ou conquista sem ajuda de ninguém?

Algumas! Quando eu consegui meu primeiro trabalho, depois minha independência financeira e hoje, poder ter conquistado, devido a vários anos de vários trabalhos em várias empresas, a dedicação integral ao blog e poder fazer dele meu trabalho principal.

8. Qual cantor/banda que você nunca vai deixar de ouvir?

Acreditam que eu não sou super fã de música?! Adoro dançar, ir em festas. Mas em casa, eu prefiro mesmo a velha e boa TV hahahahaha. Porém, acho que jamais deixarei de escutar Bon Jovi e Celine Dion e ainda, dançar e cantar quando estiver tocando Cher. Impossível ficar parada! hahahaha

9.  Tem algum sonho relacionado a seu trabalho, que quer conquistar?

Poder continuar trabalhando com o que gosto até estar velhinha e de bengalas.

10. Um dia perfeito tem que ter…  meu marido, minha família, pessoas queridas, sol, praia, doce de leite, brigadeiro, churros e muitos drinks!

drinks-anse-marcel-stmaarten-giuli-castro

Agora convido as queridas Lorraine do Blog Já Fomos Legais, a Julie Chagas, a Wan do Dia de Brilho, a Camila do Não Me Mande Flores, a Mah do Mah In Wonderland e a Patricia Cousseau.

Perguntas: 1. Quando e por que decidiu escrever um blog? l 2. O que você mais gosta de fazer no seu tempo livre? l 3. Seu lugar favorito no mundo! l 4. O que não pode faltar na sua necessaire? l 5. Qual seu item de beleza favorito? l 6. Qual a peça de roupa, na sua opinião, que deixa qualquer look estiloso? l 7. Como você se imagina daqui 10 anos? l 8. Qual sua comida preferida? l 9. Qual seu maior sonho de consumo? l 10. O que mais te faz feliz?

E ai, gostaram de saber um pouco mais de mim? Vocês gostam de posts assim?

Beijos

Reflexão sobre o look do dia nos dias de hoje

Achei que ficaríamos sem post hoje. Minha internet caiu logo cedo e só voltou agora.

Talvez vocês não tenham percebido, mas eu fiquei uns 2 meses sem postar meus looks do dia. E sabem por que?! Porque eu tenho sempre optado por looks mais minimalistas, confortáveis e práticos. E na internet {seja em blogs ou instagram} só vejo looks milimetricamente pensados. Então, comecei meu caso de amor e ódio com os tão famosos looks do dia.

reflexao-look-do-dia-giuli-castro-01

Eu amo looks do dia, amo looks pensados e elaborados, combinados nos mínimos detalhes. Sempre me inspiram muito. Mas, em geral, esses looks não são práticos para o nosso dia a dia. Afinal, quem acorda as 6h ou 7h da manhã e  consegue pensar em cada detalhe do look? Claro, que não precisa sair de pijama {não tenho nada contra e confesso que as vezes tenho essa vontade}, mas nem sempre estou disposta a usar vários acessórios para compor o look perfeito ou um salto 15cm.

E nesse caso de amor e ódio, suspendi meus looks aqui no blog. Porém, quanto mais eu refletia, mais dúvidas, eu tinha: Será que as pessoas acham meus looks muito comuns? Será que vale a pena ainda postar os meus looks do dia, que são looks da vida real? Será que as pessoas gostam de looks mais reais para o dia a dia? Ou será que elas só querem looks super pensados para se inspirarem? Será que eu devo me limitar e parar de postar meus looks? Enfim, tantas e tantas dúvidas que me fizeram parar para pensar sobre o assunto durante um bom tempo.

E cheguei a minha conclusão: eu tenho gostado de looks mais simples, práticos e confortáveis. Inclusive, tenho gostado de procurar looks assim para me inspirar. São looks que me deixam confortáveis. Mas isso não quer dizer que serão looks óbvios ou sem graça. As vezes, uma combinação de cores diferentes, dá um charme ou então um mix de estampas ou de texturas. Ou ainda uma blusa branca que parece tão básica, mas que tem um decote maravilhoso nas costas. Enfim, descobri diversas formas de explorar o look básico. E claro, as vezes vou usar looks bem básicos, destes que todo mundo usa, mas é o meu dia a dia e ainda acho válido postar por aqui. Assim, como terei alguma oportunidade de usar aqueles looks super elaborados e que também chegarão por aqui. Afinal, esse é o meu cantinho para dividir com vocês o meu dia a dia e não só o mundo perfeito.

reflexao-look-do-dia-giuli-castro-02

Claro que essa é a minha conclusão e que ela não precisa ser a conclusão de todo mundo. Mas quero ouvir a opinião de todos! Isso não quer dizer que eu não vou mais me inspirar em looks elaborados ou que essa é uma conclusão permanente. Isso quer dizer que, nesse momento, eu resolvi me libertar de certas regras, que sem querer, eu mesma impus a mim.

Agora me contem! O que vocês preferem? Looks mais elaborados, looks da vida real, ambos ou nenhum?

Beijos

Eu vi: Making a Murderer

Making-a-murderer_Giuli-Castro_01

 

Quem me conhece deve até achar estranho esse post. Para quem não me conhece, eu sou super viciada em novelas da Globo. Sim, gente, sou dessas. Acompanho todas em meu tempo livre. Poucas séries me prenderam a ponto de ver todos os episódios. Alias conto nos dedos de uma das mãos: FRIENDS {a melhor até hoje na minha opinião}, Sex and the City, The Big Bang Theory {adoro, mas essa eu vi quase todos os episódios}, Revenge e domingo terminei Making a Murderer {não sei se um pouco atrasada}.

A série do Netflix, na verdade é um documentário,  tem apenas uma temporada de 10 episódios . Cada episódio tem em torno de 1h de duração. Assisti o primeiro deles, dia 10/01 a noite. Já fui dormir encucada. Neste ultimo sábado, assisti até o episódio 6 e domingo terminei. Devia ser umas 4h da tarde quando acabei e desde dali, não paro de pesquisar sobre o assunto. Quase não dormi na noite de domingo para segunda só pensando nisso, acreditam?

A sinopse: O documentário conta a história de Steven Avery. Após ter passado 18 anos preso por um crime que não cometeu, ele consegue a liberdade devido a um exame de DNA que prova sua inocência. A história vira notícia e, quando está prestes a ganhar uma gigantesca indenização pelo Estado, Avery se torna o principal suspeito do assassinato da fotógrafa e jornalista Teresa Halbach. Em dez episódios, a série acompanha a investigação, o julgamento e todas as contradições que giram em torno do caso.

Sabe aquela série que te prende?! Eu e o Renato não queríamos parar de ver por nada. Mas infelizmente, resolvemos começamos a assistir num domingo as 22h e no outro dia tínhamos que acordar cedo para trabalhar. A semana foi super corrida e só conseguimos sentar para ver novamente no sábado. Dali até domingo quando acabamos, não tivemos mais vida. E quando acabamos também não, porque fomos para a internet ler tudo a respeito {aliás continuo lendo! hahaha Quem tiver links, pode deixar nos comentarios :) }.

 

ATENÇÃO! Cuidado que daqui para frente pode conter spoiler!!!

Making-a-murderer_Giuli-Castro_02

 

 

 

Ainda não me conformo como o resultado final do julgado do Avery e do Brandon. Não tenho minhas conclusões sobre quem é o culpado pela morte da Teresa. Na verdade, eu consigo imaginar que qualquer um ali {o proprio Steven, os policiais, o irmão dela, o ex namorado} poderiam ter sido responsáveis pelo assassinato dela. Porém, em nenhum momento investigam estes outros suspeitam. Além disso, durante todo o julgamento tratam como se ele fosse reincidente no crime de abuso sexual, sendo que ele tinha sido inocentado da outra vez. Nenhuma prova apresentada mostra que ele é realmente culpado e em caso de dúvida, o réu não pode ser julgado como culpado. Se há uma possibilidade de ele ser inocente, isso tem que ser usado a favor dele. É o que eles chamam da presunção da inocência.

Quando eu acabei de ver o seriado e mesmo durante, eu tinha quase certeza que ele era inocente. Afinal, a série é feita do o ponto de vista dele e da família dele. Apesar do objetivo da série ser mostrar como é falho o sistema judiciário. Desde o começo, sempre achei o irmão da Teresa um pouco estranho e muito sarcástico para quem acabou de perder uma irmã. Mas desconfio de outras pessoas também. Lendo todos outros links, vejo também que o próprio Steven pode ser realmente culpado. Sei que estou querendo ler mais e mais links, mas acho que a verdade dificilmente saberemos.

Li que o sucesso da série foi tão grande e que o Netflix está interessado em produzir a 2a temporada. Será?

Quem mais já viu a série? O que acharam? Também estão sendo consumidas pela série como eu?

Beijos