Eu Li: O ano em que disse sim | Shonda Rhimes

Não, eu nunca tinha visto um episódio de nenhuma série da Shonda antes de ler esse livro. Ou seja, eu ainda não era influenciada pela Shondaland.

Para quem não sabe, Shonda Rhimes é a produtora de várias séries como Grey’s Anatomy, Private Practice, Scandal e How to get away with murder.  Porém, eu até pouco tempo atrás quase não assistia série e não sou {ou melhor, não era até ler o livro} fã de Shonda.

Lembro de uma época que esse livro bombou no instagram, mas como eu mal sabia quem era Shonda, não dei bola. No fim do ano de 2017, estava procurando um livro para ler e muitas meninas do #ClubedoLivrismo me indicaram O Ano em que disse sim da Shonda.

resenha-o-ano-em-que-disse-sim-shonda-rhimes-giuli-castro

Eu não costumo ler sinopses e tudo que eu sabia sobre livro é que era uma autobiografia de Shonda. Eu gosto de ler biografias e então, me joguei.

Sinopse do livro:Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O Ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas e oferece ao leitor a motivação necessária para fazer o mesmo em sua vida.

Para começar, vale dizer que Shonda é super engraçada. Então esse livro, mesmo nos piores momentos do ano de Shonda, ele é divertido. A história é contada de forma leve e a leitura flui super bem.

Em O Ano em que disse sim, Shonda conta todo o seu dia a dia. Suas dificuldades com a família, com o trabalho, com o racismo, gordofobia, machismo. Dificuldades que nós também encaramos no nosso cotidiano e é muito bom saber que estamos juntas, com as mesmas dificuldades. Me senti abraçada várias vezes no livro. Shonda mostra nesse livro que é gente como a gente.

Eu não gosto de livros de auto-ajuda e apesar de ser um livro de biografia, tem muitos momentos de auto-ajuda por lá. Mas se você é como eu e não gosta também, não precisa desistir de ler, porque o livro como um todo vale muito a pena.

Super recomendo para todo mundo. Ele mudou muito a forma de pensar sobre várias coisas. Você pode não achar que é o melhor livro da sua vida, mas com certeza, você vai se identificar em vários momentos e também vai se sentir abraçada.

Quem já leu?! Qual livro vocês estão lendo?

Beijos

Compre esse post: