Testei: Solução Micelar Ultra | La Roche-Posay

Há algumas semanas, chegou aqui em casa, a Solução Micelar da La Roche-Posay. Porém, eu já tinha comprado no fim do ano passado para testar e já estava usando.

Resenha da Agua Micelar Ultra da La Roche Posay por Giuli Castro

Segundo a marca, a solução micelar ultra, purifica a pele, remove até partículas de poluição {limpeza profunda das impurezas}, alto poder demaquilante {remove a maquiagem com um simples gesto, sem agredir. Rosto, olhos e lábios}, rica em água termal de La Roche-Posay {ação antioxidante. Acalma e suaviza a pele após as agressões diárias}, sem enxágue, sem parabenos, sem corantes, sem álcool, sem sabão. Ideal para peles sensíveis e sensibilizadas.

Para quem ainda não sabe, eu sou super fã de demaquilar com água micelar. Minha pele é normal, porém a área dos olhos é super sensível e não consigo usar demaquilantes bifásicos nesta area porque meus olhos incham e ficam muito vermelhos.

Vamos começar pela embalagem?! A Solução Micelar Ultra da La Roche-Posay tem duas apresentações de 100 e 200mL. A minha é de 200mL. Acho que o frasco de 100mL é ideal para carregar na necessaire e na bolsa.

O frasco é de plástico transparente e com tampa flip-top. Super prática para usar e ótima para saber se já está acabando e se já é hora de comprar outra.

Resenha da Agua Micelar Ultra da La Roche Posay por Giuli Castro

Pode ser usada como demaquilante e como tônico. No meu dia a dia, eu uso como demaquilante. Porém, quando eu viajo, para não precisar carregar tantos produtos, eu acabo usando como tônico também.

Ela tem um cheirinho bem suave, quase imperceptível. Eu percebo enquanto estou aplicando no rosto, mas logo passa. Eu não sou muito boa para identificar tipos de fragrâncias, mas eu sinto um cheirinho doce, bem suave mesmo. Acredito que não vá incomodar quem não gosta de cheiros.

Para tirar toda a maquiagem do dia a dia, eu uso de 2 a 3 discos de algodão e a minha pele fica super limpa. Para tirar maquiagens de festas, eu uso uns 4 discos de algodão. Vale lembrar que eu não uso nada a prova d’água justamente pela sensibilidade da minha pele ao redor dos olhos.

Resenha da Agua Micelar Ultra da La Roche Posay por Giuli Castro

Batons e máscara de cílios/ Depois de passar o 1o algodão/ Depois de passar o 2o algodão

O que eu achei?!

É das minhas soluções micelares favoritas. Limpa super bem, não agride a minha pele e é específica para peles sensíveis, como é o caso da minha. Eu não preciso de muitos discos de algodão para ficar limpando a minha pele e também não preciso ficar esfregando muito.

Uma dica é: quando a maquiagem que você estiver usando for muito pesada, mais difícil de tirar, principalmente nos olhos. Use dois discos de algodão, um para cada olho, coloque bastante solução nele e deixe uns minutinhos, como se estivesse fazendo compressa nos olhos. Assim, a maquiagem vai soltar toda no algodão e você não vai precisar ficar esfregando muito o olho. Essa dica vale para qualquer produto demaquilante.

Já usaram? Qual a solução micelar favorita de vocês?!

Beijos

Compre o post:

 

Este produto foi enviado pela marca e os links aqui colocados geram comissão para mim. Porém todos os produtos foram testados por mim e todas as resenhas aqui colocadas são sinceras e independente da marca ou loja que me enviou para teste ou que me paga por comissão.

 

Eu li: Holocausto Brasileiro | Daniela Arbex

O livro de hoje é o Holocausto Brasileiro da escritora brasileira Daniela Arbex. Fazia muito tempo que eu não lia escritores brasileiros e essa foi uma indicação de um clube do livro que eu faço parte.

Sinopse: Durante décadas, milhares de pacientes foram internados à força, sem diagnóstico de doença mental, num enorme hospício na cidade de Barbacena, em Minas Gerais. Ali foram torturados, violentados e mortos sem que ninguém se importasse com seu destino. Eram apenas epilépticos, alcoólatras, homossexuais, prostitutas, meninas grávidas pelos patrões, mulheres confinadas pelos maridos, moças que haviam perdido a virgindade antes do casamento. Ninguém ouvia seus gritos. Jornalistas famosos, nos anos 60 e 70, fizeram reportagens denunciando os maus tratos. Nenhum deles — como faz agora Daniela Arbex — conseguiu contar a história completa. O que se praticou no Hospício de Barbacena foi um genocídio, com 60 mil mortes. Um holocausto praticado pelo Estado, com a conivência de médicos, funcionários e da população.

livro holocausto brasileiro de Daniela Arbex por Giuli Castro

Minha primeira dica para quem quer ler esse livro é: prepare o psicológico e o estomago. Por varias vezes, eu pensei em desistir ou em vomitar. É um história muito triste do passado do nosso país, mas que eu acho que todos devemos saber para não esquecermos e nem cometermos os mesmos erros.

Muita gente não sabe o que acontecia por lá. Muitas pessoas desinformadas acham que lá era o único lugar que existia para tratar as pessoas. Quando na verdade, ali ninguém era tratado. Todos eram muito maltratados. Não podemos esconder essa história com a desinformação. Precisamos mostrar como era para que isso não se repita.

O lugar era para ser um local de recuperação das pessoas doentes, mas passou a ser um entulho de pessoas que os familiares ou inimigos não queriam mais saber. Sem nenhuma condição de viver, eles só pioravam com o passar o tempo.

E sabe o que é pior?! Não faz muito tempo! Até poucos anos, o local ainda estava ativado.

Nem sempre a gente quer ler coisas tristes ou pesadas, nem todo mundo gosta de ler esse tipo de livro. Mas, eu acho que é importante a gente se interessar e ler histórias que se passaram aqui no nosso país. Não foi fácil para mim. Como eu disse, eu pensei muitas vezes em desistir, em não ler. Por muitas vezes, eu não aguentei, meu estomago embrulhava.

Apesar de pesado, não é um livro grande. Eu li em 2 dias, em um fim de semana. Para quem tiver preparado, apesar de achar que nunca estaremos completamente preparados, aconselho muito a leitura.

Dei 4 estrelas lá no Goodreads e no Skoob, por ter alguns erros de português. Não sei se a culpa foi da edição do Kindle ou se todas são assim…

Para quem não sabe, eu tenho uma conta do Good Reads e no Skoob. Quem quiser saber os livros que já li ou estou lendo e quiser interagir comigo, é só me adicionar por lá {clicando nos nomes dos sites aqui em cima, vocês já serão redirecionados para o perfil}.

Alguém já leu? Qual livro vocês estão lendo?!

Beijos

Batom da Vez: # 30 | Latika

O batom da vez de hoje é o número 30 da Latika. Eu sempre quis testar os batons da marca, mas nunca achava para comprar e acabava desencanando de comprar pela internet. Porém, um dia, eu precisa de um pouco a mais para ganhar frete grátis e aproveitei para comprar o batom.

batom liquido matte 30 da latika

Segundo a marca, é um batom de longa duração, não craquela e não transfere.

A embalagem é linda. De plástico, como a maioria das embalagens dos batons líquidos e glosses. Como o corpo é transparente, é ótimo para ver a cor do batom. Tem a tampa amarelo claro com bolinhas dourado. Eu achei super fofa.

batom liquido matte 30 da latika Giuli Castro

O aplicador é o mais comum entre os batons líquidos e glosses. Acho a aplicação bem fácil, uma camada é suficiente para cobrir todo o lábio, sem manchar. Eu não sei se é porque é um tom de nude claro ou se todas as cores são assim. Mas não tive nenhum problema para aplicá-lo.

batom liquido matte 30 da latika Giuli Castro

A cor é um nude-caramelo-doce-de-leite. No swatch, ele fica mais escuro do que fica na minha boca.  Quando comprei pela internet, achei que ele fosse ficar dessa cor, mas ele fica bem mais claro. Achei que ia ser um marrom a lá Kylie Jenner, mas não foi. E ele não oxida, ele fica exatamente da mesma cor depois de aplicado por todo o tempo.

batom liquido matte 30 da latika Giuli Castro

A duração dele é boa, mas não é excelente. Ele sai depois de algumas horas ou depois de comer. Eu não me importo, porque ou eu fico sem ou eu repasso. Apesar dele ser mais sequinho do que outros que eu tenho, como da Quem Disse Berenice, ele não craquela. Ele sai uniformemente, não deixa os lábios manchado.

O que eu achei?

No geral, eu gostei bastante. Acho que ele tem um bom custo x benefício. Não é um batom caro e cumpre o que se propõe. Eu só fiquei um pouco decepcionada com a cor, mas aí fui eu que escolhi errado, né?! A marca não tem nada com isso. Pretendo comprar uma outra, um pouco mais escura.

Vocês já usaram os batons da marca? O que acharam?

Beijos