Eu vi: Making a Murderer

Making-a-murderer_Giuli-Castro_01

 

Quem me conhece deve até achar estranho esse post. Para quem não me conhece, eu sou super viciada em novelas da Globo. Sim, gente, sou dessas. Acompanho todas em meu tempo livre. Poucas séries me prenderam a ponto de ver todos os episódios. Alias conto nos dedos de uma das mãos: FRIENDS {a melhor até hoje na minha opinião}, Sex and the City, The Big Bang Theory {adoro, mas essa eu vi quase todos os episódios}, Revenge e domingo terminei Making a Murderer {não sei se um pouco atrasada}.

A série do Netflix, na verdade é um documentário,  tem apenas uma temporada de 10 episódios . Cada episódio tem em torno de 1h de duração. Assisti o primeiro deles, dia 10/01 a noite. Já fui dormir encucada. Neste ultimo sábado, assisti até o episódio 6 e domingo terminei. Devia ser umas 4h da tarde quando acabei e desde dali, não paro de pesquisar sobre o assunto. Quase não dormi na noite de domingo para segunda só pensando nisso, acreditam?

A sinopse: O documentário conta a história de Steven Avery. Após ter passado 18 anos preso por um crime que não cometeu, ele consegue a liberdade devido a um exame de DNA que prova sua inocência. A história vira notícia e, quando está prestes a ganhar uma gigantesca indenização pelo Estado, Avery se torna o principal suspeito do assassinato da fotógrafa e jornalista Teresa Halbach. Em dez episódios, a série acompanha a investigação, o julgamento e todas as contradições que giram em torno do caso.

Sabe aquela série que te prende?! Eu e o Renato não queríamos parar de ver por nada. Mas infelizmente, resolvemos começamos a assistir num domingo as 22h e no outro dia tínhamos que acordar cedo para trabalhar. A semana foi super corrida e só conseguimos sentar para ver novamente no sábado. Dali até domingo quando acabamos, não tivemos mais vida. E quando acabamos também não, porque fomos para a internet ler tudo a respeito {aliás continuo lendo! hahaha Quem tiver links, pode deixar nos comentarios :) }.

 

ATENÇÃO! Cuidado que daqui para frente pode conter spoiler!!!

Making-a-murderer_Giuli-Castro_02

 

 

 

Ainda não me conformo como o resultado final do julgado do Avery e do Brandon. Não tenho minhas conclusões sobre quem é o culpado pela morte da Teresa. Na verdade, eu consigo imaginar que qualquer um ali {o proprio Steven, os policiais, o irmão dela, o ex namorado} poderiam ter sido responsáveis pelo assassinato dela. Porém, em nenhum momento investigam estes outros suspeitam. Além disso, durante todo o julgamento tratam como se ele fosse reincidente no crime de abuso sexual, sendo que ele tinha sido inocentado da outra vez. Nenhuma prova apresentada mostra que ele é realmente culpado e em caso de dúvida, o réu não pode ser julgado como culpado. Se há uma possibilidade de ele ser inocente, isso tem que ser usado a favor dele. É o que eles chamam da presunção da inocência.

Quando eu acabei de ver o seriado e mesmo durante, eu tinha quase certeza que ele era inocente. Afinal, a série é feita do o ponto de vista dele e da família dele. Apesar do objetivo da série ser mostrar como é falho o sistema judiciário. Desde o começo, sempre achei o irmão da Teresa um pouco estranho e muito sarcástico para quem acabou de perder uma irmã. Mas desconfio de outras pessoas também. Lendo todos outros links, vejo também que o próprio Steven pode ser realmente culpado. Sei que estou querendo ler mais e mais links, mas acho que a verdade dificilmente saberemos.

Li que o sucesso da série foi tão grande e que o Netflix está interessado em produzir a 2a temporada. Será?

Quem mais já viu a série? O que acharam? Também estão sendo consumidas pela série como eu?

Beijos

Batalha Batiste: Original X Fresh

A um tempo atrás eu era bem preconceituosa com shampoos a seco. Não usava, achava que era coisa de quem não gostava de lavar o cabelo. Desculpa! Não me julguem, me eduquem! Com o tempo, descobri maravilhas do shampoo a seco, além de eliminar o excesso de oleosidade. A melhor função para mim, de qualquer shampoo a seco, é dar textura para os meus cabelos e volume para a raiz. Desde então, venho usando muito.

Já tinha ouvido falar muito bem dos shampoos a seco da Batiste, mas ainda não tinha usado. Um dia, em uma loja de cosmético, me deparei com uma enorme variedade do produto. Fiquei perdida! Não sabia qual escolher. Como era o primeiro, optei pelo Shampoo a Seco Batiste Original. Usei até acabar. Quando acabou, fui novamente comprar, mas optei pelar versão Shampoo a Seco Batiste Fresh.

IMG_1117

Ambos funcionam igual e tem o mesmo resultado. Você aplica na raiz do cabelo e nas laterais e ele vai ficar branco, já que essas duas versões o pó é branco. Depois você espalha com os dedos e logo o pó já é absorvido. As duas versões eliminaram a oleosidade do meu cabelo e deram um ar mais refrescante. Os fios ficaram bem soltinhos. Claro que eu não estava com o cabelo 5 dias sem lavar. Eu fico no máximo um dia sem lavar o cabelo e ai aplico o shampoo para soltar um pouco a raiz. As vezes, uso mesmo com o cabelo limpo para fazer escova. Aplico na raiz da franja para dar um pouco de volume e ficar bem soltinho. Super funciona.

Logo na primeira vez, não sabia muito a diferença entre eles. Sabia que tinha uns cabelos castanhos que o pó era mais escuro e esses mais comuns de pó branco. Porém, quando comprei a versão Fresh, já percebi a diferença, no primeiro dia de uso: o perfume.

IMG_1120

Todas as duas versões tem perfume. O perfume da versão Fresh é mais doce, mas não achei muito forte não, e olha que para perfumes, eu sou bem chata e alérgica. A versão original, tem um cheiro mais herbal, mas que não me agradou muito.  Entre as duas versões, eu escolho a Fresh sem dúvidas, porque achei o cheiro bem gostosinho. Mas o resultado final é igual de ambos.

IMG_1122

Eu comprei o Original em loja de cosméticos e o Fresh na farmácia. O Original ainda está com etiqueta, paguei R$26,80 na Abaeté em Moema {SP} , o Fresh está sem preço e eu não lembro {quén, quén}, mas foi por volta disso.

E vocês já usaram essas versões? O que acharam?

Meu Look: Macaquinho Estampado

Bom dia!!!!!

O post de hoje é com uma peça do nosso closet que adoro: macaquinho. Macaquinhos são super práticos, confortáveis e versáteis. Não precisamos nos preocupar com nada e ainda ficamos bem femininas. Mesmo amando vestidos, acho que macaquinhos os substituem perfeitamente.

Esse que escolhi tem uma estampa bem legal, um tecido super fresquinho e confortável e ainda um peplum que o deixa super feminino. Tudo junto em uma peça só. Para completar o look, escolhi uma sandália de salto grosso.

Macaquinho-Skinbiquini_Giuli-Castro_01 Macaquinho-Skinbiquini_Giuli-Castro_02 Macaquinho-Skinbiquini_Giuli-Castro_03 Macaquinho-Skinbiquini_Giuli-Castro_04 Macaquinho-Skinbiquini_Giuli-Castro_05

Macaquinho: Skinbiquini

Sandalia: Arezzo

Brinco: Dolores Iguacel

Foto: @thivicen

Cabelo: @mikehairstylist

Make: @makeupcelle

E ai, look aprovado?

Beijos