Os melhores lugares para curtir a cultura local de São Paulo

Fui desafiada pelo Expedia a falar sobre os programas mais legais de São Paulo. Vivi lá por doze anos e não consegui aproveitar tudo o que a cidade oferece, mas sempre que posso, dou uma escapadinha para lá. Sim, morro de saudades daquela selva de concreto.

São Paulo é muito mais que uma cidade de negócios. É uma cidade em que encontramos todos os tipos de programas possíveis, para todas as idades e gostos.

Começando por atrações ao ar livre, o meu lugar preferido é o Parque do Ibirapuera. Dos doze anos que morei lá, onze deles foram ao lado do Parque. É um ótimo lugar para desestressar e estar em contato com a natureza. Sempre que conseguia, ia para lá fazer minhas corridas diárias e aproveitar para tomar uma água de coco natural.

sao-paulo-ibirapuera-giuli-castro

Além do Parque do Ibirapuera, outro lugar que conheci, frequentei pouco, mas que me apaixonei, foi o Jardim Botânico. Talvez pela localização, eu não consegui frequentar muitas vezes, mas o lugar é maravilhoso e vale muito a visita.

Adoro andar pela Rua 25 de março, fazer umas comprinhas e depois almoçar no Mercadão. Por lá não faltam opções: como o famoso pão com mortadela ou o pastel do Hocca. Eu fico com o pastel, mas quem já comeu o pão de mortadela, diz ser imperdível.

Ainda no centro antigo da cidade, além da 25 de março e o Mercadão, você pode aproveitar para conhecer a Igreja da Sé que é lindíssima, o Pátio do Colégio e ainda subir na Torre do Banespa e ver toda a cidade lá de cima.

sao-paulo-igreja-da-se-giuli-castro

Falando em gastronomia, não pode deixar de comer feijoada . Eu indico muito a feijoada do restaurante Tordesilhas que fica no coração dos Jardins e é a melhor feijoada que já comi em São Paulo. A feijoada é servida somente aos sábados, no horário do almoço por lá. Depois, para fazer a digestão, nada melhor do que caminhar pelas ruas tranquilas do Jardins. E para quem gosta de doce… La Vie in Douce.

Ir a São Paulo e não comer a famosa pizza, não é ir a São Paulo. A pizza mais famosa e, na minha opinião, a melhor pizza do país não pode ser deixada de lado. Minhas pizzarias preferidas são: Margherita {no Jardins}Veridiana {Jardins ou Higienópolis} ou ainda para apreciar a pizza e conhecer o bairro do Bixiga, indico a Speranza {tem também em Moema e em Santana}

Aos sábados, além de comer a feijoada, também tem 2 feirinhas bem legais: de antiguidades, na Praça Benedito Calixto e a da Liberdade. Para quem gosta de gastronomia asiática, a Liberdade é o paraíso. Você pode trocar a feijoada por algum restaurante asiático de lá. Além, disso, para quem é igual a mim e adora um cosmético ou maquiagem, não pode deixar de visitar a loja gigante da Ikezaki. Mesmo que você não vá comprar nada {que eu duvido muito}, vale a visita.

Falando em museus, quem visita a cidade não pode deixar de ir ao MASP. Além dele, ainda tem o Museu da Língua Portuguesa, Memorial da América Latina, Pinacoteca, Museu da Arte Moderna, Bienal e Museu do Ipiranga.

sao-paulo-masp-giuli-castro

Para quem ama futebol, pode assistir um jogo em algum dos estádios: Pacaembu, Morumbi ou Palestra. Caso você não queira assistir toda uma partida ou não tenha nenhum jogo nos dias que você estiver na cidade, você pode visitar o Museu do Futebol que fica no Estádio do Pacaembu.

A noite não vale ficar em casa, certo?! São Paulo tem baladas para todos os gostos: eletrônica, pop, sertanejo, pagode, samba, etc. Se você não curte balada, pode escolher algum dos vários bares da Vila Madalena. Agora se você curte algo mais tranquilo, pode ir jantar no Terraço Itália ou então ir para o Bar do Hotel Unique, o Skye.

Além de São Paulo, temos muitas outras cidades com muitos programas legais de cultura local. No blog da Expedia Brasil tem várias dicas. Não deixe de conferir.

Gostaram? Quem é de SP, já conhece todos esses lugares?

Beijos

*Publipost

 

Meus restaurantes preferidos em SP

Já estava há um tempão querendo fazer esse post, mas sempre ia deixando para o próximo e passou. Mas de hoje não passa!

Separei 10 restaurantes que amo em SP. Quando morava lá, ia sempre em quase todos eles {alguns em ocasiões especiais} e agora que não moro mais, sempre que vou em SP, preciso ir em algum deles. Não vou colocar em ordem, porque não seria justo. Gosto muito de todos eles e sou incapaz de falar qual gosto mais. Cada um tem um tipo de comida, um estilo e um valor. São muitas variáveis! hahahaha

  1. Ritzfui a primeira vez para conhecer o tão famoso Bolinho de Arroz  e posso dizer que é isso tudo mesmo! Além disso, o Hamburguer é maravilhoso e tem um Penne Mediterrâneo incrível. Eles trabalham com cardápio a la carte e também com o prato do dia. A ultima vez que fui, era dia do Picadinho. Gente, vocês precisam experimentar esse picadinho! Um dos melhores que já comi na vida!Ritz-Giuli-Castro
  2. Bar do Alemãolembro quando abriu em SP. A primeira unidade foi aberta em Moema, do lado da minha casa. Lógico, que eu fui correndo. O mais conhecido é o Bife a Parmegiana. Por muito tempo, eu ia lá e nem pedia mais o cardápio, comia sempre o bife a parmegiana. Até um dia que o Renato pediu Strogonoff. Tão maravilhoso quanto o Bife a Parmegiana. As vezes nem consigo escolher qual dos dois quero comer. Bar-do-Alemao_Giuli-Castro
  3. L’Entrecôte de Pariso famoso restaurante de prato único: Bife  com Batata-Frita. Mas não é qualquer bife com batata-frita, ele tem um molho da casa de mostarda que é sensacional. Além disso, tem um mil folhas de doce-de-leite de sobremesa incrível! Eu raramente como sobremesa em restaurantes porque geralmente como muito antes, mas esse mil folhas, não deixo passar. Deixo de comer o couvert, para ter espaço para a sobremesa hahahaha #soudessasLentrecote-de-Paris_Giuli-Castro
  4. Tatini:  confesso que quando cheguei lá, me decepcionei com o ambiente. Não sabia que era um restaurante antigo, fui pelo fervor causado pela massa no queijo nos intermináveis vídeos no instagram na época. Mas, a comida é maravilhosa. Todas as vez que fui comi Linguini Nel Grana Padano. É maravilhoso! Em todas as vezes que eu fui, vi eles flambarem o strogonoff na hora de servir e fiquei com vontade de experimentar. Mas o linguini dentro do grana padano sempre me ganha.Tatini_Giuli-Castro
  5. Serafiname apaixonei desde a primeira vez que fui la. Tem massas leves que eu adoro. Mesmo tirando do cardápio um dos meus pratos preferido que Spaghetti com camarões. Mas ainda assim, tem muitos outros pratos muito gostosos, como Penne Al Pomodoro e o Farfalle Al Limoncello. De O ambiente é uma delicia e os drinks também.Serafina_Giuli-Castro
  6. Pizzaria Veridianafalar de restaurantes em SP e não falar de pizzaria, não é SP, né?! Eu gosto de qualquer pizza. Vai ser muito dificil, você me ver falar que uma pizza é ruim. Até pizza congelada eu gosto. Mas iguais as pizzas de SP, não existe.  Eu nunca tinha ido na Veridiana até o Renato me levar {é a pizzaria preferida dele} e posso garantir que virou uma das minhas preferidas também. Ultimamente, quando estamos em SP e queremos pizza, sempre acabamos lá. Todas as pizzas que já comi lá, são excelentes.Veridiana_Giuli-Castro
  7. Corrientes 348é o meu restaurante de carne preferido. Além de ter a melhor carne, a melhor farofa, também tem a melhor panqueca de doce de leite que já comi. Sempre que quero comer uma carne boa, é lá que eu vou. Já estou com saudades dos meus almoços de domingo por lá.Corrientes-348_Giuli-Castro_01 Corrientes-348_Giuli-Castro_02
  8. Myk: é um restaurante grego maravilhoso. Quem me conhece bem, imagina o quão receosa fiquei na minha primeira ida ao restaurante. Achei que não fosse comer nada. Mas fui surpreendida novamente! Tem um Arroz Carnoli de Camarões incrível. Só de escrever aqui já estou desejando. Um dos pratos mais famosos é o Polvo Grelhado. Sempre que fui lá alguém pediu e sempre me deparo com ele nas redes sociais. O único problema do restaurante são as filas intermináveis, mas vale a pena cada minuto de espera.Myk_Giuli-Castro
  9. Due Cuochi: é um italiano maravilhoso! Mas não tem um preço muito convidativo, sugiro para momentos mais especiais. Eu sempre peço o Capellini com Camarões. Acho que vocês já conseguem perceber o quanto eu gosto de camarão, né?! hahahahaha. Tem uma seleção de vinhos bem legal também.due-cuochi-cucina_Giuli-Castro
  10. Arturitoé um restaurante pequeno, super agradável da Chef Paolla Crosella. O cardápio é bastante variado, mas eu sempre peço alguma carne ou o capellini com camarões. É muito importante fazer reserva antes, porque realmente é bem pequeno e a demanda é alta. Um sábado passei por lá e a fila era de 2h no jantar. Acabei desistindo, claro. Arturito_Giuli-Castro

Vocês já conheciam todos estes restaurante? Qual o preferido de vocês?

Beijos

PS: Nem todas as fotos correspondem aos meus pratos preferidos. Como eu não tenho as fotos, recorri a internet. Até estava esperando ter todas as fotos para fazer esse post, mas como não estou mais morando em SP, demoraria muito e não achei justo demorar ainda mais para compartilhar essas dicas com vocês.

Giuli Viaja: Cataratas do Iguaçu

Cataratas-do-Iguacu_Giuli-Castro_01

Final do ano passado, estava tudo muito conturbado com casamento, lua-de-mel e mudança, acabamos deixando para resolver o Reveillon em cima da hora. E como tudo que fica para ultima hora, fica muito caro. E foi por ai que começamos a decidir qual seria nosso destino no Reveillon.

Não sei se já falei para vocês, mas eu não sou super fã das festas de final de ano, mas gosto muito de aproveitar o feriado do Reveillon para viajar, e geralmente para a praia. Porém, como deixamos para ultima hora, as passagens aéreas estavam muito caras e como só poderíamos viajar no dia 31/12, descartamos as praias do estado de SP por causa do trânsito. Foi ai que comentei que gostaria de conhecer as Cataratas do Iguaçu. Seriam uns 600km de carro, mas decidimos encarar. Destino decido, onde ficar?

Comecei a pesquisar vários hotéis, mas não tínhamos dicas de pessoas conhecidas e já caímos em um cilada do Trip Advisor. Então sempre ficamos um pouco receosos com as indicações não só de lá, mas de pessoas desconhecidas. Olhamos muitos hotéis, demoramos mais um pouco para decidir, porque além de tudo, tínhamos a opção de escolher ficar do lado brasileiro ou do lado argentino. Depois de muito procurar e pensar, escolhemos ficar do lado brasileiro, no hotel que fica dentro do Parque Nacional das Cataratas: Belmond Hotel das CataratasFizemos a reserva pelo Booking.com e deu tudo super certo.

Catratas-do-Iguacu_Giuli-Castro_02

Saímos daqui, de Presidente Prudente, dia 31/12 bem cedinho, umas 07:00  e chegamos lá por volto 12:00. No Parque não pode entrar carro. Então, assim que chegamos na entrada do Parque, eles nos indicam um estacionamento do hotel para parar o carro e uma van nos pega e leva para hotel. A van sai de 30min em 30min, tanto para sair do hotel, quanto para voltar para lá.

Assim que chegamos no hotel, já fiquei impressionada! O hotel é de frente para as Cataratas! Uma vista linda!

Chegamos, fizemos check-in e fomos almoçar. Enquanto isso liberaram nosso quarto. Como chegamos no dia 31/12 e tinha a festa de Reveillon, aproveitamos para descansar e não fizemos nenhum passeio. Fomos até as cataratas ali na frente do hotel para conhecer, mas só. O hotel fez uma festa de Reveillon legal, mas não foi super badalada, mesmo porque a maioria dos hospedes estavam em família. Tinham muitos gringos também.

Cataratas-do-Iguacu_Giuli-Castro_05

O hotel é maravilhoso. O nosso quarto não era muito grande, mas tinha um tamanho bom e confortável. Apesar de ser bem antigo, é tudo bem conservado e reformado. Nada tem caro de velho ou abandonado. As comidas são bem gostosas. São dois restaurantes e um bar. Durante o dia, só um restaurante funciona, mas para o jantar, o restaurante da piscina funciona com buffet a vontade e o outro, a la carte. No bar, além dos drinks são servidos alguns lanches rápidos também.

No segundo dia, fizemos o passeio a pé, até as cataratas do lado brasileiro de manhã. A capa de chuva é super importante porque molha muito mesmo. Com a capa molha menos, mas ainda assim molha. O lugar é maravilhoso, mas como tem muita água, aconselho a ir de óculos escuro, porque senão não conseguimos abrir os olhos.

IMG_0779

A tarde, fizemos o passeio que fomos de barco até as cataratas, o Macuco Safari. Esse passeio tem que fazer! Custa por volta de R$200,00 por pessoa, mas vale muito a pena. Foi o passeio que mais gostei de todos que eu fiz, queria até fazer de novo. Se tiver calor, vá de biquini/maiô e com a capa de chuva. Eu fui de body com um short jeans e com a capa de chuva. Voltei encharcada. Se você não for ficar hospedado no hotel dentro do Parque, leve uma troca de roupa, porque molha muito mesmo. Ah, e não esqueça de levar algo para prender o cabelo, porque eu esqueci! Meu cabelo ficou uó. Eles fazem fotos durante o passeio, mas se você tiver câmera a prova d’agua, pode levar também.

Cataratas-do-Iguacu_Giuli-castro_03

No terceiro dia, fomos para o lado argentino. Fomos de carro até lá, não é longe, mas tem bastante transito para atravessar a fronteira, não sei se era devido ao feriado, mas ficamos pelo menos 1h hora na fila para passar na imigração. Para a imigração não precisa de passaporte, pode ser até a carteira de motorista. Como eu não tinha certeza e meu RG tem mais de 10 anos, acabei indo com o passaporte.

No parque tem estacionamento para carro e estacionamos por lá. Tem bastante placas e na imigração, eles também explicam direitinho. Para entrar no parque do lado argentino, tem que pagar um ingresso {assim como do lado brasileiro também}, porém, eles só aceitam pesos como pagamento. É importante lembrar de trocar um pouco de dinheiro.

Cataratas-do-Iguacu_Giuli-Castro_06

Como chegamos lá já perto do meio-dia, fomos almoçar. Não achamos muitas opções, mas confesso que no ficamos um pouco perdidos assim que entramos no parque. Comemos uma pizza que estava ok.  De lá pegamos um trem para a Garganta do Diabo que é a maior e mais conhecida catarata. Depois que descemos do trem, adamos por uma longa passarela até chegar lá. Não sei se foi o dia que escolhemos, um sábado, mas o lado argentino estava muito mais cheio que o lado brasileiro, quase não conseguimos tirar fotos. Na garganta do Diabo não molha nada, nem precisa de capa de chuva. Depois voltamos para o hotel.

Cataratas-do-Iguacu_Giuli-Castro_04

No ultimo dia, tomamos café e voltamos para casa. Foi uma viagem rápida, mas que valeu super a pena. O lugar é maravilhoso. Eu, que nunca tinha ido para lá, voltei realmente encantada. Já estou pensando em voltar.

E vocês, já conhecem as Cataratas?

Beijos