Dica de Leitura: O Menino do Pijama Listrado

Sempre quis ler este livro, mas nunca comprava. Sempre achava outro que a capa me chamava mais atenção e que eu sabia que seria mais alegre que este {Sim, eu já sabia que era um livro triste}. Porém, um dia estava em Guarulhos, esperando o meu voo e resolvi comprar alguns livros para ler. Na verdade, estava {quer dizer ainda estou, porque não achei} atrás da “Menina de Vinte” da Sophie Kinsella {já declarei meu amor por ela aqui}, como não achei, acabei comprando “O Menino do Pijama Listrado” e “Mamãe Walsh”. Ia começar pelo “Mamãe Walsh”, mas a votação no Instragram {@giulicastro} foi unânime pelo “O Menino do Pijama Listrado”.

Comecei a ler no vôo no domingo a noite e na quarta a noite, eu já tinha terminado o livro. Devorei, literalmente. Ele não é um livro muito grande, mas em todos os intervalos entre trabalho-comer-dormir, eu estava lendo. Aproveitei todos os minutos livres para ler. Depois disso, nem preciso dizer que AMEI o livro e que todos devem ler, né?!

Antes de começar a ler, eu só sabia que o livro era triste e se passava durante a 2a guerra mundial e o holocausto. Apesar de muito triste, eu gosto muito de ler sobre histórias desta época. Depois da época da escola {que eu nem gostava muito de história, era mais ligada em biologia e  química – não atoa, sou farmacêutica}, adoro tudos sobre as guerras mundiais. Sempre quero saber  mais e me interesso por todos os livros a respeito. Quando fui para Amsterdã, não deixei de visitar a Casa de Anne Frank e também li o livro dela.

IMG_7861

Bom, mas voltando ao livro, vamos a sinopse: “Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz idéia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. ‘O Menino do Pijama Listrado’ é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável. “

Apesar de não ser uma história real, é uma história super tocante. A cada paragrafo, uma emoção. Como sempre acontece, chorei litros e mais litros! Impressionante o que pode acontecer quando duas crianças inocentes, que não te a menor idéia do que acontece e das consequências, pode acontecer. Bruno, o personagem principal, é encantador. Bem diferente de seu pai, Bruno se envolve com as pessoas, tem sentimentos por elas. Bruno é uma criança super curiosa e questionadora. Quer saber de todos os detalhes, principalmente porque precisou sair da sua casa enorme em Berlim, ficar longe ds seus amigos; para ir para um lugar distante, triste, uma casa menor e sem amigos.

A história é bem focada em Bruno e na sua amizade com Shmuel, fala pouco do holocausto. Porém, pouco o suficiente, para nós que não somos inocentes, perceber as atrocidades que eram feitas por lá.

O livro foi super recomendado para mim e eu super recomendo a leitura. Não é uma leitura leve, mas é uma leitura interessante e tocante.

Alguém já leu?

Beijos

Comentar resposta para Lala Ismerim Cancelar

Comentários

Comentários via blog

  1. Lala Ismerim comentou em

    Também amo livros sobre guerra Giuli. Aliás, sobre qualquer fato histórico.
    Eu vi o filme mas morro de vontade de ler o livro. Mesmo sendo triste acho que vale a pena.
    Beijo

    Responder